Caracterização e análise de comportamento balístico de porcelanato técnico contra munição 7,62mm perfurante

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
05-034
Agenor De Noni Jr. Jiusti, J.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Lóh, N.J.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Kammer, E.H.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); De Noni Jr., A.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Montedo, O.R.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Neckel, L.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Dentre as cerâmicas de revestimento, o porcelanato é o que possui as melhores propriedades técnicas, apresentando maior resistência mecânica, rigidez, densidade e dureza. Para cerâmicas balísticas, as propriedades mais relevantes contra projéteis perfurantes são a alta dureza e módulo de Young. No momento do impacto, o projétil transfere energia para placa formando ondas de tensão. As ondas geradas se propagam ao longo da espessura como ondas compressivas e ondas de cisalhamento e, na direção do plano, como ondas de tração e de cisalhamento. A interação entre a frente de onda compressiva e a frente de onda trativa refletida eleva o esforço a que o material é submetido, fraturando-o. A presença de descontinuidades microestruturais de materiais, tais como contorno de grão, poros, fases secundárias, etc. leva ao espalhamento da onda, atenuando-a. Em placas cerâmicas balísticas, maiores atenuações reduzem a distância percorrida pela onda e podem reduzir o dano na placa. O porcelanato possui propriedades de módulo e dureza no mesmo nível que vidros de sílica empregados em blindagens transparentes laminadas. Sua estrutura possui diversas microinterfaces, devido aos cristais de quartzo e mulita dispersos em uma matriz vítrea, e também à porosidade que apresenta. Neste trabalho, um porcelanato técnico foi caracterizado quanto a sua microdureza, módulo de Young, densidade, porosidade, resistência mecânica à flexão, tenacidade à fratura, fragilidade, capacidade de dissipação de energia balística e microestrutura. Placas de porcelanato foram submetidas a ensaio de profundidade de penetração (DOP) contra munição 7,62 mm perfurante e placa de apoio de alumínio. As propriedades do porcelanato são bastante inferiores a de cerâmicas balísticas opacas. Houve pouca variação na DOP entre placas referência e porcelanato. Não foi observada erosão no projétil, indicando a fratura prematura no impacto. O trabalho auxiliou a elucidar o desempenho balístico de um material de fácil acesso.
<< Voltar