Análise do Potencial Fotocatalítico do Compósito TiO2/C

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
18-016
Gabriela Delli Colli Zocolaro Zocolaro, G.D.(Faculdade de Ciências e Tecnologia); Silveira, G.S.(Faculdade de Ciências e Tecnologia); Nobre, M.A.(Faculdade de Ciências e Tecnologia); Lanfredi, S.(Faculdade de Ciências e Tecnologia); O controle da poluição ambiental tem gerado uma legislação bastante rigorosa em muitos países. Diante desse fato, há uma intensa pesquisa por novas e mais eficientes tecnologias de tratamento de efluentes, principalmente para os que apresentam compostos tóxicos ou não-biodegradáveis. Neste trabalho foi investigado a síntese e o potencial fotocatalítico de um compósito baseado em TiO2 disperso em uma matriz de carbono amorfo, TiO2/C. O compósito foi sintetizado a partir da pirólise parcial, baseado no método Pechini. Este método consiste na formação de uma resina polimérica produzida por poliesterificação entre um complexo de quelato de metal a partir de ácidos hidroxicarboxílicos e um poliálcool. O ácido se quela com o íon metálico e ambos são sujeitos a uma poliesterificação com o etilenoglicol, que resulta em um polímero com os cátions distribuídos uniformemente. O compósito foi caracterizado por difração de raios X (DRX), espectroscopia vibracional de absorção na região do infravermelho (FT-IR) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). A análise do potencial fotocatalítico foi investigada a partir da cinética de degradação da molécula teste de vermelho de fenol em solução com concentração inicial de 12,5 mg/L, utilizando um reator de baixa potência, equipado com uma lâmpada UV de potência de 15W. A concentração do vermelho de fenol em solução aquosa foi determinada pela mudança de absorbância em 430 nm. A difração de raios X do compósito mostrou baixa cristalinidade, com picos de difração superpostos por halos associados à matriz de carbono amorfo. Os picos identificados no DRX foram relacionados à estrutura anatase do TiO2. A análise do potencial fotocatalítico mostrou que o TiO2/C apresentou uma maior conversão do vermelho de fenol, quando comparado ao TiO2, com uma taxa de degradação de 98% em torno de 200 min de reação. A cinética da reação de degradação fotocatalítica investigada para o TiO2/C segue um modelo do tipo primeira ordem.
<< Voltar