Concentração de titânio no resíduo do processo Bayer (lama vermelha) utilizando tratamento térmico e separação magnética

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
13-060
Bruno Marques Viegas Viegas, B.M.(Universidade Federal do Pará); Magalhães, E.M.(Universidade Federal do Pará); Souza, J.A.(Universidade Federal do Pará); Passos, K.L.(Universidade Federal do Pará); Valente, A.L.(Universidade Federal do Pará); A cada dia é maior a preocupação do homem em relação aos resíduos advindos da produção industrial, não só pelo seu crescimento acelerado e sua grande diversificação, mas, principalmente, pelo impacto nocivo à vida em nosso planeta. Neste contexto, este trabalho mostra os estudos realizados para a reciclagem da lama vermelha como matéria-prima para a obtenção de concentrado de titânio. A lama vermelha tem como componente majoritário o óxido de ferro, na forma de hematita, e o óxido de titânio em concentração de aproximadamente 5% em peso. A primeira etapa dos experimentos compreendeu a caracterização da lama vermelha com as técnicas de fluorescência de raios-x e difração de raios-x. Em seguida, a lama vermelha foi misturada com o carvão em concentrações pré-determinadas. As misturas foram então levadas a um forno mufla e sinterizadas nas temperaturas de 500, 600 e 1000ºC durante 2 horas. Ao termino das sinterizações e após o resfriamento das misturas, as mesmas foram levadas independentemente a um moinho de bolas, permanecendo durante 30 minutos, visando com esta operação a desagregação completa destas. Com o auxílio de um separador magnético foi possível extrair a fração magnética do ferro que foi transformada durante a sinterização, obtendo um material com elevada concentração em óxido de titânio.
<< Voltar