Argamassa com agregados de isoladores elétricos de porcelana: influência da camada de esmalte nas propriedades mecânicas e de durabilidade

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
13-078
MARCO ANTONIO CAMPOS Argollo Ferrão, A.M.(Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo); CAMPOS, M.A.(Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo); Paulon, V.A.(Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo); Este estudo comparou um traço de argamassa com agregados miúdos de isoladores de porcelana que continham uma de suas faces esmaltadas a outro contendo apenas porcelana sem esmalte. As comparações foram nas propriedades mecânicas e de durabilidade além da verificação desta camada de esmalte na formação dos produtos de hidratação do cimento na zona de transição agregado-matriz pasta de cimento ao longo de diferentes idades por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). A superfície esmaltada pouco influenciou, negativamente, na resistência à tração por compressão diametral das argamassas, sendo que nos ensaios de resistência à compressão simples e à carbonatação, além das imagens obtidas por MEV, esta camada de esmalte não influenciou nos resultados dos ensaios, com isso chega-se a conclusão que agregados cerâmicos esmaltados podem ser utilizados em argamassas, com seu uso estendendo aos concretos, devendo apenas haver um controle de sua dimensão máxima.
<< Voltar