Análise de trincas causadas por choque térmico em carbeto de silício

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
09-006
Roberta Monteiro Mello Mello, R.M.(Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares); Bressiani, A.H.(Nuclear and Energy Research Institute); A fadiga é um processo de degradação das propriedades mecânicas de um material. Este processo é caracterizado pelo crescimento lento de uma ou mais trincas sob a ação de tensões dinâmicas e oscilantes, ocorrendo normalmente, após um período de tensões repetidas ou ciclos de deformação. Na fadiga térmica, foco deste estudo, as tensões são normalmente induzidas pelo uso de elevadas temperaturas e por tensões térmicas variáveis, que ocorrem porque a superfície do material submetido a resfriamento brusco resfria mais rapidamente, gerando tensões em relação ao interior deste material. O objetivo deste estudo é analisar a formação e propagação de trincas, assim como a ocorrência de fadiga térmica, em SiC submetido a ciclos de choque térmico. As amostras foram preparadas com 90%SiC+10%(Y2O3:Al2O3) em mol, nas proporções 1:3 e 1:4 de aditivos. As amostras compactadas foram sinterizadas a 1750°C, 1850°C e 1950°C em forno resistivo de grafite. Os ciclos térmicos foram realizados por aquecimento em forno tubular, em duas diferentes temperaturas (600°C e 900°C), e resfriamento brusco em água. A análise de trincas, por microscopia eletrônica de varredura, foi realizada nas amostras rompidas no ensaio de resistência à flexão, após 1 e 50 ciclos de choque térmico, ou após fadiga térmica. As temperaturas de sinterização e de ciclo térmico, exercem grande influência na formação e propagação de trincas. As amostras sinterizadas a 1950 °C, apesar de apresentarem um grande número de trincas, são as únicas a não apresentar fadiga térmica a 900 ºC.
<< Voltar