USO DO PLANEJAMENTO EXPERIMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE ARGAMASSA EXPANSIVA PARA LAVRA DE ROCHAS ORNAMENTAIS

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
01-052
DANIELLY VIEIRA LUCENA LUCENA, D.V.(Instituto Federal da Paraíba); SOUTO, C.R.(UFCG); Lira, H.L.(Universidade Federal de Campina Grande); Sabendo-se que um dos métodos mais significativos de tecnologia avançada para lavra, no maciço rochoso, é o que emprega argamassa expansiva para corte de rocha e que toda a argamassa expansiva comercializada no mercado interno brasileiro é importada, assim como as que são industrializadas no país, possuem componentes provenientes do mercado externo, objetivo deste trabalho é desenvolver argamassas expansivas com matérias-primas regionais e que apresentem pressão de expansão suficiente para o desmonte de rochas do tipo granito e mármore. Para isto, são utilizadas formulações de argamassa expansiva utilizando óxido de cálcio, carbonato de cálcio, carboximetilcelulose – CMC, cimento (Portland), e a partir da análise química através de análise térmica, difração de raios-X e granulometria a laser comparou-se os resultados com de uma argamassa comercial. Para o desenvolvimento das formulações de argamassa foi utilizado um planejamento experimental (fatorial) do tipo 22 com três experimentos no ponto central, totalizando 7 experimentos. Foram variadas as concentrações do carbonato de cálcio e do óxido de cálcio. Os resultados indicaram que as formulações desenvolvidas apresentaram características próximas ao da argamassa comercial.
<< Voltar