INFLUÊNCIA DO MEIO EM DISPERSÕES COLOIDAIS DE SiC

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
17-024
Renata Patricia Santos Santos, R.P.(Instituto Tecnológico da Aeronáutica); Lopes, C.M.(Instituto de Aeronáutica e Espaço); Cassu, S.N.(Instituto de Aeronáutica e Espaço); Nanopartículas apresentam tendência a se aglomerar, dificultando a obtenção de dispersões coloidais estáveis. Nesse trabalho avaliou-se a variação do tamanho das partículas e sua distribuição, influenciados pelo meio e método empregado na obtenção de dispersões de carbeto de silício (SiC). As dispersões preparadas com ultrassom de alta potência, independente do meio, apresentaram menores diâmetros de partículas medidos por espalhamento de luz dinâmico, em relação às respectivas dispersões preparadas sob agitação mecânica seguida de banho ultrassom. A maior variação foi verificada para a dispersão em água, que apresentou redução do D50 em 84% quando preparada utilizando-se ultrassom de alta potência. A dispersão de SiC em etanol atingiu o menor tamanho de partícula, obtendo-se D50 de 111,9 ± 4,3 nm. A utilização de um dispersante catiônico auxiliou na estabilização da dispersão de SiC, deslocando o potencial zeta para valores mais distantes do ponto isoelétrico, em ampla faixa de pH.
<< Voltar