Revestimento de compósito cerâmico baseado em zircônia-titânia para matrizes metálicas que armazenam petróleo

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
09-025
Andrea Goncalves sousa sousa, A.G.(INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO); YADAVA, Y.P.(UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO); Domingues, R.O.(UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO); CARVALHO, M.F.(UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO); Petróleo cru é um produto corrosivo, sendo problemático na indústria petrolífera. Pois armazena e transporta petróleo cru por meio de tanques metálicos. Para evitar a degradação superficial desses tanques utiliza-se revestimento inerte à corrosão e para isso os materiais cerâmicos mostram-se favoráveis como blindagem, pois suportam, eficientemente, o processo corrosivo.Neste trabalho foi produzido compósito cerâmico ZrO2-TiO2 com reforço de terra rara, com variações de 5 a 20% de TiO2 e 1% de La2O3. Em seguida foram moídos por 24 horas e prensados a frio, passarem por tratamento térmico à temperatura de 1350 ºC por 24 horas. Analise de difratometria de raio-x foi realizada para estudar estrutura e comprovar formação do compósito, propriedades mecânicas foram estudadas pro microdureza vickers, onde se obteve dureza média satisfatória, Microscopia eletrônica de varredura mostrou que os compósitos com maiores teores de titânia tiveram melhor distribuição e homogeneização dos grãos. Analise de microscopia óptica foi feita antes e após imersão em petróleo para observar a superfície da cerâmica. Os compósitos foram imersos em petróleo cru de terra e mar por 60 dias e depois foram analisadas novamente suas propriedades, constantando-se que estas foram mantidas, mostrando que o compósito pode ser usado como revestimento para indústria petrolífera.
<< Voltar