UTILIZAÇÃO DA ESCÓRIA GERADA NA PRODUÇÃO DE NÍQUEL COMO MATÉRIA-PRIMA PARA PRODUÇÃO DE TELHAS CERÂMICAS

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
13-098
Fábio Pimenta Esper Kallas Innocentini, M.D.(Universidade de Ribeirão Preto); Montedo, O.R.(Universidade do Extremo Sul Catarinense); Kallas, F.P.(Universidade do Estado de Minas Gerais, Fundação de Ensino Superior de Passos); Este trabalho teve como objetivo o estudo da incorporação de um resíduo proveniente de uma mineradora de níquel à massa cerâmica de uma indústria de tijolos e telhas, ambas da região Sudoeste do Brasil. Utilizou-se a escória de níquel, estocada no pátio da mineradora ao longo dos anos e que até então não tinha uma proposta de destinação mais nobre ou de reutilização. Procurou-se uma forma de melhorar as propriedades de produtos que são intensamente utilizados na construção civil, como as telhas. Foram feitos ensaios de adição em percentuais distintos de escória à massa cerâmica e buscou-se a melhor composição para que as características do produto final, especificamente da telha, pudessem ter um ganho de qualidade. A queima dos corpos-de-prova foi viabilizada em ambiente laboratorial e ao final, com o percentual ideal, foi repetido na própria indústria cerâmica, utilizando seus processos e equipamentos, contribuindo para sugerir uma melhor rota de queima, possibilitando complementarmente uma economia energética. Com base nos resultados, ficou demonstrado que a adição de escória de níquel à massa cerâmica melhorou a densidade aparente, a resistência mecânica, a impermeabilidade e reduziu a retração linear proporcionando maior estabilidade dimensional das telhas. O aumento da resistência mecânica é atribuído à sinterização do resíduo de escória nas altas temperaturas de queima utilizada no processo de fabricação de telhas, mantendo as outras características recomendadas pela ABNT.
<< Voltar