BIOATIVIDADE IN VITRO E ATIVIDADE ANTIMICROBIANA DE VIDROS E VITROCERÂMICAS CONTENDO ÍONS COM AÇÃO BIOLÓGICA

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
12-045
Nickson Costa Ribeiro Siqueira, R.L.(Universidade Federal de São Carlos); Alves, P.F.(Universidade de Franca); Ribeiro, N.C.(Universidade Federal de São Carlos); Torres, V.E.(Universidade Federal de São Carlos); Peitl, O.(Universidade Federal de São Carlos); Martins, C.H.(Universidade de Franca); Zanotto, E.D.(Universidade Federal de São Carlos); O desenvolvimento de materiais restauradores dentais com atividade antimicrobiana tem despertado muito interesse no meio científico, uma vez que esses materiais atuam no sentido de prevenir os efeitos nocivos causados por agentes etiológicos de uma variedade de doenças bucais. Nesse sentido, a utilização de vidros e vitrocerâmicas bioativas têm ganhado destaque, uma vez que algumas composições desses materiais não só apresentam ação antimicrobiana, como também exibem ação biológica favorável à manutenção do tecido dental e ósseo. Assim, avaliamos com este trabalho a bioatividade in vitro em meio acelular (SBF) e a atividade antimicrobiana, por meio da concentração inibitória mínima (CIM), de vidros e vitrocerâmicas do sistema SiO2-CaO-Na2O-P2O5 contendo de 0-6% em mol dos elementos Mg, Sr, Zn, Ag, Ga e B. Todos os materiais testados exibiram bioatividade a partir de 24 h de ensaio, sendo a camada de hidroxiapatita (HA) identificada por IVTF, DRX e MEV/EDS. Os materiais avaliados apresentaram atividade antibacteriana para a maioria dos microrganismos anaeróbios facultativo e anaeróbios estritos testados. Os valores de CIM variaram de 0,5 a 24 mg/mL, sendo os menores valores obtidos para as amostras contendo Ag e B. Não foi possível observar a influência do aumento da concentração de Mg, Sr, Zn, Ag, Ga e B incorporados nas amostras, contudo pode ser verificado que a presença desses elementos proporcionou ação antibacteriana mais efetiva em relação às amostras padrão (sem adição desses elementos).
<< Voltar