UTILIZAÇÃO DE CONCHAS MARINHAS NA FORMULAÇÃO DE REVESTIMENTO CERÂMICO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
05-004
Luiz Felipe Pereira Nóbrega Gomes, Y.S.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Souza, M.M.(IFRN); Nóbrega, L.P.(IFRN); de Carvalho, S.M.(IFRN); A pesca é uma das maiores atividades do setor primário brasileiro. No município litorâneo de Arês, a 60 quilômetros de Natal, a extração de molusco de conchas marinhas gera resíduos sólidos que causam impactos ao mangue. Visando tornar mínimos os impactos ao manguezal, foi pensado a utilização de conchas (sumariamente compostas de CaCO3) na massa do grês porcelanato, a fim de fazer um produto de qualidade e baixo custo. As experimentações foram realizadas seguindo o padrão clássico (mistura, prensagem, secagem e queima). Foram testadas duas formulações distintas: F1 - 10% - concha, 10% - quartzo, 40% - argila e 40% - feldspato e F2 – 15% - concha, 10% - quartzo, 35% - feldspato e 40% - argila. Sinterizadas, as peças foram submetidas a testes físicos e demonstraram grande resistência, no entanto 10% de porosidade e absorção d'água.
<< Voltar