DESENVOLVIMENTO DE CIMENTO DE alfa-TCP INJETÁVEL MACROPOROSO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
12-001
Evandro Garske Scarabelot Vásquez, A.F.(Universidade Federal Rio Grande do Sul); dos Santos, L.A.(Universidade Federal do Rio Grande do Sul); Scarabelot, E.G.(Universidade Federal do Rio Grande do Sul); Os cimentos apatíticos de fosfato de cálcio tem sido amplamente estudados e aplicados em cirurgias de preenchimento ósseo, sendo geralmente procedimentos altamente invasivos. Embora uma das caraterísticas mais importantes destes cimentos é a reabsorbilidade no organismo, a taxa de reabsorção In Vivo é lenta devido à ausência de porosidade aberta intrínseca. No presente trabalho foram obtidas estruturas macroporosas com presença de interconexões a partir da mistura de cimento de alfa-TCP com uma fase líquida espumada. Foram diluídas na fase líquida diferentes concentrações de hidrogenofosfato de sódio e um surfactante (Lutensol ON 110 ou Lauril Sulfato de Sódio). As diferentes combinações foram determinadas a partir de um planejamento do tipo central rotacional 2^2. A fase líquida foi espumada por agitação manual num sistema composto por 2 seringas conectadas por uma válvula de PVC. Depois de espumar a solução foi acrescentado o pó de cimento e misturado com a espuma no mesmo sistema. A pasta cimentícia macroporosa foi injetada posteriormente em moldes de silicone. Verificou-se que as soluções com Lutensol apresentaram maior espumabilidade (218 – 400%) que as soluções com Lauril (63 – 209%), o qual foi conferido nas micrografías MEV, onde não foi evidenciada a presença de macroporosidade interconectada nas amostras feitas com Lauril. Em contraste, as amostras de Lutensol apresentaram macroporos abertos com diâmetros maiores a 100 micrômetros. A difração de raios X evidenciou a transformação de alfa-TCP em Hidroxiapatita deficiente em cálcio em todas as amostras. Este estudo sugere que as amostras de cimento de fosfato de cálcio espumadas com Lutensol podem continuar sendo avaliadas mais rigorosamente como materiais aptos para o preenchimento ósseo.
<< Voltar