Reutilização de rejeito de fundição na produção de refratários silico-aluminosos

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
07-012
SIVALDO LEITE CORREIA Frade, S.B.(UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA); CORREIA, S.L.(UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA); GOMES, G.(UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA); Segadães, A.M.(Universidade de Aveiro, CICECO); A fabricação de produtos cerâmicos incorporando rejeitos industriais tem sido amplamente estudada e quanto mais nobre o produto final, maiores são as limitações encontradas. Este trabalho investiga o potencial de reutilização de um rejeito de refratário, proveniente de uma indústria de fundição, na formulação de novos refratários silico-aluminosos. Após a caracterização do rejeito (FRX, DRX), foi formulada uma massa cerâmica contendo sílica, alumina, argila e rejeito (25,0 % em massa). O processamento (via úmido) incluiu moagem, secagem, compactação e queima a 1450 °C. Os corpos de prova foram avaliados em seco (densidade aparente) e após queima (composição química e mineralógica, retração linear, densidade aparente, absorção de água, módulo de ruptura em três pontos, microestrutura) por meio de ensaios de FRX, DRX, MEV, DTA/TG. Os resultados mostraram que a massa cerâmica refratária contendo 25,0 % em massa de rejeito de fundição atende as principais propriedades do produto final. A caracterização microestrutural mostrou que o rejeito contribui para o desenvolvimento de uma microestrutura com poros pequenos e em sua maioria arredondados, com pouca interconectividade, favorecendo assim o desempenho do produto final.
<< Voltar