AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS DIMENSIONAIS, FÍSICOS E MECÂNICOS EXIGÍVEIS NO RECEBIMENTO DE BLOCOS CERÂMICOS DE VEDAÇÃO A SEREM UTILIZADOS EM OBRAS DE ALVENÁRIA NA CIDADE DE PALMAS DE ACORDO NBR 15270-1

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
03-007
FERNANDO ANTONIO S FERNANDES FERNANDES, F.A.(FACUDADE CATÓLICA DO TOCANTINS); STRAGLIOTTO, A.J.(CATÓLICA DO TOCANTINS); SAGRILO, B.D.(CATÓLICA DO TOCANTINS); BEZERRA, P.R.(CATÓLICA DO TOCANTINS); Com objetivo de padronizar a partir de 22 de novembro de 2014, as industriais de cerâmica vermelha brasileiras, só poderão fabricar e importar componentes cerâmicos em conformidade com a portaria n° 558/13, do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO), que entrou em vigor em novembro de 2013. Esta portaria estabelece a regulamentação para componentes cerâmicos para alvenaria, e define os requisitos dimensionais e de marcação para elementos cerâmicos e condições de comercialização em todo território nacional. A medida se aplica aos blocos de vedação e estruturais – incluindo bloco inteiro ou principal, meio bloco e blocos de amarração L e T; canaletas cerâmicas J e U; tijolos cerâmicos maciços e perfurados; elementos vazados; e componentes cerâmicos que não possuam forma paralelepípedo. Este trabalho através de uma pesquisa em campo na cidade, identificou que se a portaria estive-se em vigor 100 % dos blocos comercializados na cidade de Palmas no estado do Tocantins, não atenderia as orientações, verificou-se também que 100% dos proprietários das lojas especializadas em venda, não sabia da existência das orientações e que 80% das industrias produtoras também não conhecia. Ao final do trabalho, os resultados foram devidamente tabulados e apresentados aos ceramistas em uma reunião promovida pelo SINDICER/TO, onde todos se comprometarão em atender o que preconizava a portaria.
<< Voltar