ANÁLISE MINERALÓGICA DE RESÍDUOS DE QUARTZITOS APLICADOS NA MASSA CERÂMICA PARA REVESTIMENTO APÓS A SINTERIZAÇÃO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
05-026
whitney crislayne costa costa, w.c.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Souza, M.M.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Costa, F.A.(Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Bezerra, L.D.(Fundação de apoio à Pesquisa do RN); Freire, R.S.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); A exploração dos recursos naturais e o desenvolvimento tecnológico podem provocar desequilíbrios ecológicos com consequências dificilmente previsíveis, causada pela extração mineral. Um dos motivos desse aumento é a falta de um plano de gerenciamento de resíduos, que resulta em impactos ambientais negativos. O estudo buscou comparar os resultados das análises de difração de raios-x dos corpos de prova sinterizados para utilização em revestimento cerâmico, fazendo-se o uso de resíduos de quartzito rosa, dourado, preto e verde na massa cerâmica, sinterizados a 1150°C e 1200°C. As fases presentes após a sinterização foram o microclínio a 1150°C e a mulita a 1200°C, com exceção do quartzito preto, que apresentou o quartzo a 1150°C, e do quartzito rosa, que apresentou a bayerita a 1200°C. Os resultados obtidos demonstraram que se pode utilizar os resíduos de quartzitos na massa cerâmica com temperaturas de 1150° e 1200°C, para revestimento.
<< Voltar