Hidróxido de alumínio como agente porogênico em cerâmicas refratárias: Efeito do tamanho de partícula.

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
01-019
Adriane Damasceno Vieira Souza Souza, A.D.(Universidade de São Paulo); Salomão, R.(Universidade de São Paulo); A combinação de Al2O3 com geradores de poros à base de Al(OH)3 pode resultar em estruturas com elevada refratariedade e porosidade, com potencial para aplicação em isolamento térmico. Este estudo descreve a caracterização de Al(OH)3 comerciais com diferentes tamanhos médios de partículas (1, 10 e 100µm), visando seu uso como agente porogênico em cerâmicas refratárias. As amostras foram tratadas termicamente em diferentes temperaturas (300-1500°C) e caracterizadas por meio de pcnometria de Hélio, difração de raios X, termogravimetria, adsorção de nitrogênio (BET) e microscopia eletrônica de varredura. Verificou-se que os hidróxidos são do tipo Gibsita e após aquecimento levaram à formação de aluminas de transição até a completa conversão para a ?-Al2O3. O tamanho médio das partículas influenciou significativamente a densidade, área superficial específica e volume total de poros após cada tratamento térmico. A evolução microestrutural indica que diferentes tamanhos de partículas pode levar a diferenças no potencial porogênico do Al(OH)3.
<< Voltar