Efeito da rota de síntese na estrutura e microestrutura de perovisquita - LaNi1-xFexO3-d na aplicação de eletrodos

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
10-006
Edson Cezar Grzebielucka Grzebielucka, E.C.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Sowa, R.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Chinelatto, A.S.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Mather, G.C.(Instituto de Cerámica y Vidrio,); Chinelatto, A.L.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Zircônia estabilizada com ítria (ZEI) tem sido usada como um eletrólito em células a combustível de óxido sólido devido a sua elevada estabilidade química, contudo, as altas temperaturas de operação (~ 1000 °C) acabam por encarecer os custos dos materiais necessários para sua montagem. Pesquisas têm sido realizadas visando produzir materiais com estrutura do tipo perovisquita que podem trabalhar em conjunto com a ZEI e suprir essa necessidade. Perovisquitas com composição LaNi1-xFexO3-? são um exemplo de materiais que podem ser usados como eletrodos por apresentarem coeficiente de expansão térmico próximo da ZEI, boa atividade catalítica e elevada condutividade eletrônica. Neste contexto, LaNi0,6Fe0,4O3-d (LNF) foi sintetizado por duas rotas distintas, pelo método Pechini (LNF-P) e por mistura de óxidos (LNF-O), sinterizados a 1400 °C por 6 horas e caracterizados por Difração de raios X (DRX) usando método Rietveld, Análise termomecânica (TMA), Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Espectroscopia de Impedância (EI) e medida de condutividade DC por 4 pontos (4P). LNF-P e LNF-O foram aplicados sobre amostras de ZEI, sinterizados e caracterizados por EI e 4P. O refinamento Rietveld encontrou uma mistura de estruturas ortorrômbica e romboédrica além de outras fases, diferentes para cada rota adotada. LNF-P demonstrou expansão térmica próxima da ZEI, contudo, a condutividade elétrica total da ZEI não foi alterada quando com eletrodos de LNF-P, mas foi reduzida quando com LNF-O, que foi a muito mais condutiva que LNF-P quando comparadas por 4P. A baixa performance do LNF-O pode ser explicado pela diferença no coeficiente de expansão térmico, causando a separação das duas interfaces, reduzindo os pontos de contato, o que não foi observado para o LNF-P quando observado por MEV.
<< Voltar