AVALIAÇÃO TEÓRICO-EXPERIMENTAL DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DO GESSO UTILIZANDO O MÉTODO DO FIO QUENTE.

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
06-020
Alan Christie da Silva Dantas Sousa, C.R.(Universidade Federal do Vale do São Francisco); Dantas, A.C.(Universidade Federal do Vale do São Francisco); Alencar Júnior, J.P.(Universidade Federal do Vale do São Francisco); Olivier, N.C.(Universidade Federal do Vale do São Francisco); Ferraz, A.d.(Universidade Federal do Vale do São Francisco); O gesso é um material amplamente utilizado na construção civil que apresenta baixa condutividade térmica devido a sua natureza química e estrutural. O aumento da porosidade tende a promover uma diminuição da condutividade térmica dos corpos potencializando este material para aplicações de isolamento térmico. Este trabalho tem como objetivo a analise numérica e experimental da influencia da porosidade na condutividade térmica de blocos de gesso medida a partir do método do fio quente. Um modelo teórico numérico foi desenvolvido utilizando o método das diferenças finitas com o auxilio da linguagem de programação FORTRAN 90. Os ensaios experimentais foram realizados em corpos com diferentes porosidades onde a porosidade dos corpos foi controlada a partir da variação da quantidade de água utilizada na produção dos blocos (razões mássicas água/gesso iguais a 0,5, 0,6 e 0,7), e a partir da adição de bicarbonato de sódio (NaHCO3). Uma variação de 20% da porosidade promoveu uma redução de 50% da condutividade térmica, de modo que amostras com 44% porosidade apresentaram uma condutividade térmica de 0,91 ± 0,02 W/mK enquanto que amostras com 64% porosidade apresentaram um valor de 0,45 ± 0,01 W/mK.
<< Voltar