Desenvolvimento de novos cátodos para células a combustível de óxidos sólidos com condutividade protônica

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
10-009
Tufy Kabbas Junior Junior, T.K.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Grzebielucka, E.C.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Chinelatto, A.S.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Mather, G.C.(Instituto de Cerámica y Vidrio,); Chinelatto, A.L.(Universidade Estadual de Ponta Grossa); Devido à necessidade de uma tecnologia que produza energia mais limpa, uma alternativa que tem ganhado destaque no cenário mundial são as células a combustível. Elas têm se destacado pela sua alta eficiência de conversão de energia, baixa geração de poluentes, mínima restrição de localização, potencial de cogeração e a sua capacidade de fornecer uma fonte contínua e confiável de energia. Dispositivos eletroquímicos capazes de converter energia de uma reação química diretamente em energia elétrica é a melhor forma de se definir células a combustível. A célula a combustível é formada por um ânodo e um cátodo (eletrodos), separados por um eletrólito. Desta forma, este trabalho teve por objetivo estudar a obtenção de perovisquitas com condutividade mista protônica-eletrônica para atuar como cátodos de células a combustível de óxido sólido com condutividade protônica. Estes compósitos foram feitos utilizando-se a mistura da perovisquita BaCe0,2Zr0,7Y0,1O3-d (BCZY), a qual possui condutividade protônica, com a perovisquita LaNi0,5Cr0,5O3 (LNC), que possui condutividade eletrônica. Os pós de BCZY e LNC foram preparados por meio de método baseado no método Pechini, sendo calcinados a 900°C para obter as fases desejadas. Os pós foram caracterizados por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) e Difração de Raios X (DRX). As amostras foram preparadas utilizando uma relação em peso de 25:75, 50:50 e 75:25 para o BCZY:LNC. Os pós obtidos foram sinterizados a 1400°C por 4 horas. Os corpos sinterizados foram caracterizados por MEV e DRX. Os resultados da DRX mostraram que além das perovisquitas BCZY e LNC foi encontrada uma pequena quantidade de terceira fase. Nas análises de MEV, com Mapeamento Químico por Energia Dispersiva de Raio X (EDS) foram identificadas apenas as fases BZCY e LNC.
<< Voltar