Mauro Akerman é engenheiro metalurgista graduado pela Escola Politécnica da USP e doutor em engenharia metalúrgica e de materiais pela mesma escola. Com mais de 30 anos de experiência, trabalhou na Saint Gobain Vidros como consultor interno na área de elaboração do vidro e gerenciamento de programas de formação técnica vidreira. Desde 2008 atua como consultor independente, nas mesmas áreas, além de coordenar a Escola do Vidro da Abividro (Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro) e o comitê técnico da mesma instituição.

 

Evolução das composições dos vidros industriais

Mauro Akerman

Escola Politécnica da USP 

Resumo
O vidro é empregado pelo homem desde a pré-história, cerca de 75 000 anos atrás. Nesta época a origem deste material era natural se constituindo de minerais encontrados na natureza como a obsidiana.
Há cerca de 5.000 anos foi descoberto como produzir o vidro e até muito recentemente os conhecimentos sobre esse material eram empíricos. Somente em 1882 com a reunião em Jena, Alemanha, de três cientistas: Otto Schott, Zeiss e Abbe é que se passa a focar cientificamente o vidro.
As composições industriais sempre foram desenvolvidas com base em três aspectos: as propriedades dos produtos, a viabilidade de elaboração e conformação com os meios disponíveis e os custos envolvidos no processo.
Neste trabalho se apresenta um apanhado histórico da evolução do vidro desde o tempo do empirismo até o desenvolvimento e evolução da ciência e indústria vidreira procurando comparar as características e propriedades às composições químicas praticadas até os dias atuais.

 

Copyright © 2014 Metallum. Todos direitos reservados.
Desenvolvido por: SITESP.NET