Estado da arte dos refratários usados em fornos de fusão e reciclagem de alumínio

Dr. Ulisses Soares do Prado

Resumo
O aumento relativo da produção de alumínio a partir da refusão e reciclagem tem imposto novos desafios para a indústria de refratários objetivando maximizar a performance do revestimento destes fornos. Nos últimos anos tem-se observado uma tendência da indústria de alumínio em substituir, nos fornos de refusão e reciclagem, refratários formados (tijolos) por produtos monolíticos (não moldados). Existe no mercado de refratários, um grande número de tipos de materiais não formados como os concretos refratários tradicionais, concretos de baixo e ultrabaixo teor de cimento, massas plásticas, concretos de pega química e mais recentemente os concretos ligados com sílica coloidal. Neste trabalho serão apresentadas as vantagens e desvantagens de cada um desses tipos de refratário, com relação ao seu desempenho e sua aplicação.

Copyright © 2016-2017 Metallum. Todos direitos reservados.
Site produzido por: SITESP.NET

Matérias-Primas,Síntese de Pós,Cerâmica Vermelha,Cerâmica Branca,Revestimento Cerâmico,Gesso e Cimento,Refratários / Isolantes Térmicos,Vidros e Vitrocerâmicos,Cerâmica Termo-Mecânica,Cerâmica Eletro-Eletrônica / Magnética,Compósitos,Biocerâmica,Reciclagem e Meio Ambiente,Arte e Design,Esmaltes / Fritas / Corantes,Ceramografia,Processamento,Nanotecnologia,Educação em Materiais Cerâmicos