CARACTERIZAÇÃO FÍSICA, MECÂNICA E MICROESTRUTURAL DE MASSAS CERÂMICAS REFRATÁRIAS CONTENDO REJEITOS REFRATÁRIOS MAGNESIANOS

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
07-002
Sander Bicalho Frade Frade, S.B.(UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA); Correia, S.L.(Universidade do Estado de Santa Catarina); Segadães, A.M.(Universidade de Aveiro, CICECO); No presente estudo, matérias primas cerâmicas naturais foram parcialmente substituídas por rejeito refratário magnesiano, na composição de massas cerâmicas refratárias. O rejeito, obtido a partir de uma indústria de fundição local, foi caracterizado por meio de fluorescência de raios X (FRX), difração de raios X (DRX) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). A incorporação do rejeito variou de 20 a 50 % (em massa) na composição das massas, com processamento a úmido e sinterização a 1400 ºC em forno elétrico, atmosfera oxidante. As massas foram caracterizadas a seco (densidade aparente, retração de secagem e módulo de flexão em três pontos) e sinterizado (absorção de água, retração linear, densidade aparente e módulo de flexão em três pontos). Visando correlacionar as características microestruturais com as propriedades dos produtos obtidos, amostras selecionadas de sinterizados fraturados foram caracterizadas por meio de FRX, DRX, MEV/EDS e espectroscopia de infravermelho (FTIR). Os resultados das medidas das propriedades físicas e mecânicas no sinterizado obtidas mostraram que é possível obter massas cerâmicas com densidade de 3,22 g/cm3 e absorção de água de 20 %, assim como módulo de ruptura de 50 MPa. A caracterização microestrutural indicou uma matriz densa, com pouca predominância de fase líquida e a presença de cordierita como fase cristalina, o que confirma o previsto pelo sistema ternário SiO2-Al2O3-MgO.
<< Voltar