REAPROVEITAMENTO DO RESÍDUO SIDERÚRGICO PÓ DE DESPOEIRAMENTO EM TIJOLOS DE VEDAÇÃO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
03-040
Adriano Alves Rabelo Luz, D.S.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Para); Castro, M.A.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará); da Costa, F.G.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Para); Barbosa, A.C.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará); Fagury Neto, E.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará); Rabelo, A.A.(Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará); Este trabalho apresenta uma avaliação tecnológica de cerâmicas de vedação com incorporações do resíduo siderúrgico pó de despoeiramento produzidas em dimensões comerciais. A produção foi realizada com o intuito de avaliar a influência do resíduo nos parâmetros geométricos, físicos, mecânicos e visuais, conforme as normas técnicas da ABNT. Foram formuladas amostras com 10 e 25% do resíduo siderúrgico inserido, a uma temperatura de queima de 950 °C durante 48 horas. As matérias-primas utilizadas foram caracterizadas através de ensaios de distribuição granulométrica, limites de Atterberg e difração de raios X. Embora os tijolos apresentem qualidade satisfatória para sua aceitação, para os dois teores de resíduo todas as peças apresentaram resultados não conformes em pelo menos uma das especificações da norma técnica. Além disso, a formação de eflorescências foi constatada, devido ao pó de despoeiramento que contém sais voláteis e que se solubilizam na argila. Os resultados mostraram que este resíduo siderúrgico exige cuidados adicionais para a sua inserção na produção de tijolos de vedação com qualidade e em conformidade às normas, sendo que uma possível solução para evitar a formação de eflorescências seria a utilização de temperaturas de queima mais elevadas.
<< Voltar