Avaliação de aditivos dispersantes e da distribuição granulométrica nas propriedades reológicas de concretos.

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
06-032
Heitor Montefusco Bernardo Bernardo, H.M.(Universidade de São Paulo); Maciel, M.H.(Universidade de São Paulo); Brasileiro, G.C.(Universidade de São Paulo); Mesquita, J.A.(Universidade de São Paulo); Almeida, T.S.(Universidade de São Paulo); Romano, R.C.(Universidade de São Paulo); Pileggi, R.G.(Universidade de São Paulo); O desenvolvimento tecnológico de concretos exige o controle cada vez mais restrito das suas propriedades no estado fresco, pois as etapas de mistura, transporte e aplicação são críticas para seu bom desempenho. Para tanto, são frequentemente utilizados os conceitos de empacotamento de partículas e dispersão/estabilização das suspensões, com a utilização cada vez mais frequente de aditivos dispersantes em concretos. Porém, a escolha do aditivo não é trivial em função da extensa gama de produtos encontrados no mercado. Isso ocorre porque a sua eficiência depende do tipo de cimento e adições empregadas na composição dos concretos, já que a sinergia entre ambos é definida pelas características superficiais das partículas. No entanto, a eficiência de abertura deve ser mantida ao longo do tempo, pois interfere na quantidade de água de amassamento e no tempo útil para o transporte e aplicação. Da mesma forma, a maior aproximação dos agregados pode afetar as propriedades no estado fresco, além de facilitar a fricção entre eles, gerando calor e modificando a cinética da hidratação do cimento Portland. Sendo assim, este trabalho foi realizado com o objetivo de analisar as propriedades reológicas de concretos ao longo do tempo a partir de ensaios de reometria rotacional, oscilatória e abatimento por tronco de cone. As composições foram formuladas somente com alteração na proporção das britas 1 e 0, mantendo-se a distribuição de tamanho de partículas da argamassa constante. Utilizou-se dois tipos de dispersantes: um com maior eficiência de abertura e maior estabilidade e outro especificado com menor eficiência de abertura e menor estabilidade no tempo. Os resultados obtidos indicaram que a eficiência do aditivo, tanto em relação com o espalhamento quanto com a manutenção da estabilidade, depende da distribuição granulométrica dos concretos. Portanto, optou-se por correlacionar os resultados no concreto com os resultados obtidos na pasta cimentícia a partir de reometria oscilatória, e rotacional confirmando os diferentes conceitos de formulação de cada aditivo.
<< Voltar