UTILIZAÇÃO DE FELDSPATO E REJEITO DE CAULIM DA REGIÃO DO SERIDÓ – RN, NA FORMULAÇÃO DE PEÇAS PARA REVESTIMENTO CERÂMICO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
05-039
Lorena Ellen Souza dos Santos Souza dos Santos, L.E.(Instituto Federal de Educação e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Souza, M.M.(Instituto Federal de Educação, ciência e tecnologia do Rio Grande do Norte); Sousa, J.B.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Mendes, L.B.(Fundação de Apoio a Pesquisa do Rio Grande de Norte); MEYER, M.F.(IFRN); Lima, T.C.(Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte); Este trabalho tem como objetivo, por meio de uma pesquisa teórica e experimental, denotar uma possibilidade de utilização de rejeito de caulim da região do Seridó - RN, na formulação de peças para revestimento cerâmico, propiciando também uma redução no impacto ambiental. O material estudado foi coletado, cominuído e passadas em malha #200, posteriormente, o material foi caracterizado quimicamente por FRX e preparadas três formulações de percentuais distintos da aplicação do rejeito substituindo parcialmente as matérias primas convencionais. Os corpos de prova foram obtidos por via seca, formatadas por prensagem uniaxial, os lotes foram sinterizados a 1100°C, 1200°C e 1250°C e por fim, submetidos ao ensaio físico para verificação da absorção de água. Segundo a NBR 13818-97, as formulações F1 a 1200 ºC e 1250º e F2 a 1250º apresentaram características técnicas de porcelanato, enquanto que as demais formulações, exceto F3 a 1100º, como grês. Desse modo, constatou-se a viabilidade técnica da incorporação dos rejeitos do caulim como matéria prima da massa cerâmica para produção de revestimento cerâmico.
<< Voltar