Estudo das propriedades mecânicas e microestruturais de geopolímeros aplicados como concreto refratário

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
07-018
Ana Beatriz Rodrigues Porto Porto, A.R.(UNIVERSIDADE FEDERAL DO PÁRA); Silva, A.C.(Universidade Federal do Pará); Candido, V.S.(Universidade Federal do Pará); Monteiro, S.N.(Instituto Militar de Engenharia); silva, a.r.(Universidade Federal do Pará); OLIVEIRA, W.S.(Universidade Federal do Pará); O cimento geopolimérico (CGP) é um cimento de polímero inorgânico derivado de materiais geológicos naturais, conhecido por geopolímero. A geopolimerização é uma geosíntese, esta é uma reação que integra os minerais sílico-aluminatos. É um material considerado de baixo impacto ambiental, os concretos geopolímericos possuem resistência à alta temperatura e, portanto, podem ser empregados como refratários, tendo alta reatividade, boa plasticidade, baixa densidade, pega rápida, boa trabalhabilidade, alta resistência mecânica, coesão e acabamento superficial, que são observados no estado fresco, associadas ao rápido desenvolvimento de resistência. Este estudo tem como objetivo estudar o potencial refratário de concretos geopoliméricos para aplicação em altas temperaturas. Neste trabalho foi feita a caracterização e análise microestrutural, da matéria prima principal, o caulim, advindo da região Norte do Brasil. O material será calcinado à 850ºC por 2 horas, para obtenção de metacaulim. Para a mistura do geopolímero foi utilizado o metacaulim com solução de silicato de sódio e hidróxido de potássio. O material foi curado a 80º C por 24hrs, sendo analisado progressivamente diante das temperaturas de exposição térmica. As pastas curadas foram aquecidas a 500, 800, 1000, 1200, 1300 e 1400°C durante 3h em um forno mufla, e foram submetidas a ensaios de compressão, tração e flexão. Os fragmentos de cada corpo de prova foram estudados e caracterizados por, Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) e espectroscopia de dispersão de energia por raio-X. Por estas análises foi possível identificar as fases presentes, densidade e porosidade de cada um dos geopolímeros. Os resultados mostraram que a porosidade apresentada pelos dos geopolímeros deve torná-los adequados para utilização como isoladores térmicos.
<< Voltar