COMPORTAMENTO DE UMA CERÂMICA VERMELHA COM A INCORPORAÇÃO DE RESÍDUOS DE GARRAFAS PET NO PROCESSO DE SINTERIZAÇÃO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
13-075
Hugo Ferraz Lacerda Freitas, T.M.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia); Valenzuela-Diaz, F.R.(Universidade de São Paulo); Amaral, G.L.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia); Bulhões, G.C.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia); Oliveira, O.M.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, campus Vitória da Conquista.); Lacerda, H.F.(Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia); As garrafas PET são diariamente descartadas na natureza gerando um grave passivo ambiental. Embora já existam algumas iniciativas de reciclagem deste material, ainda há necessidade de criar alternativas para o seu reaproveitamento. Nas indústrias cerâmicas, durante o processo de fabricação de seus produtos, existem etapas em que este rejeito pode ser incorporado sem que a qualidade final dos produtos seja prejudicada. O objetivo deste trabalho é o estudo da mistura da garrafa PET devidamente moída ou micronizada na argila que é a matéria-prima, no processo de fabricação de produtos de cerâmica vermelha. Foram realizados ensaios de caracterização dos materiais, confecção de corpos de prova com esta mistura e, além disso, ensaios físico-químicos. Os resultados demonstram que a adição do rejeito na massa cerâmica é aceitável até um percentual em torno de 5% de incorporação, isto possibilita a utilização do rejeito e a consequente amenização dos danos causados pelo descarte indevido.
<< Voltar