RECICLAGEM DE VIDRO: ESTUDO DA INFLUÊNCIA DO LIGANTE NA FABRICAÇÃO DE CORPOS POR COMPRESSÃO

Referencia Apresentador Autores
(Instituição)
Resumo
13-086
Jean Valdir Uchoa Teixeira Teixeira, J.V.(INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ); Praxedes, F.M.(INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ); Taketa, V.M.(INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ); Paumgartten, W.S.(INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ); Araujo, S.M.(INSTITUTO FEDERAL DO PARÁ); A reciclagem de materiais vítreos apresenta uma alternativa favorável economicamente, uma vez que permitem a fabricação de peças a temperaturas mais baixas quando comparado ao processo de fundição de matérias-primas vitrificantes, além de reduzir a quantidade descartada deste material que por ser inerte se mantém por longo tempo na natureza. Em decorrência das vantagens observadas, o processo de reciclagem do vidro tem se tornado objeto de estudo de inúmeras pesquisas que visam não apenas o aproveitamento do resíduo como também o aperfeiçoamento do processo de fabricação de peças obtidas a partir do pó de vidro por métodos como a compressão. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo estudar a influência de diferentes ligantes no processo de obtenção de corpos de vidro por compressão de vidro moído. Para realização deste estudo, foram utilizadas garrafas de vidro as quais foram maceradas e cominuídas para obtenção de granulometrias inferiores a 200#. Estabelecida uma quantidade fixa de pó, foram adicionados ligantes nas seguintes condições: 5% de água, 5% de glicerina, 5% de poliéster, 3% de água e 2% de glicerina e 3% poliéster e 2% água. Após a adição as amostras foram homogeneizadas e comprimidas manualmente em moldes cilíndricos de aço, obtendo-se corpos de 25mm de diâmetro e 5mm de altura. Em seguida foi realizada a queima dos corpos de prova ocorreu a temperatura de 780°C durante 70 minutos, com taxa de aquecimento de 10°C/min. Para caracterização dos corpos de prova foram realizados testes de porosidade aparente, densidade aparente, absorção de água, além de análises por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Estereoscopia e Espectroscopia de Energia Dispersiva de Raios-X (EDS). Foi observado durante a confecção dos corpos de prova que o uso de glicerina apresentou melhor resistência a verde. Os resultados das análises permitem observar que houve uma maior densificação com o uso de água como ligante onde as amostras fabricadas com este ligante apresentaram um número mínimo de poros. Apesar dos melhores resultados exibidos pela formulação de vidro e água, são necessários novos estudos para o aumento de sua resistência a verde.
<< Voltar